Tempo de leitura: < 1 minuto

As plataformas de pagamentos móveis vinham se consolidando antes de 2020, mas poder fazer pagamentos via celular de forma segura, e sem contato, no ano da pandemia, foi um incentivo e tanto para elas. Este artigo da Harvard Business Review Brasil analisa duas forças do setor, Apple Pay (EUA) e AliPay (China) e suas diferentes estratégias e resultados, com uma mensagem clara: é preciso pensar o ecossistema, com viabilidade econômica para o B2B e experiência e segurança para o B2C.

Apesar das diferenças entre os dois mercados e momentos das economias, o que se destaca é que a Apple focou primordialmente na experiência do cliente (cultura da companhia) com seus aparelhos e não nos bancos e comerciantes (com taxas não atrativas). Já a Alipay ofertou taxas e custos de implementação baixos, compartilhando insights sobre percepções dos consumidores, e auxiliando comerciantes a gerar novos serviços e promoções personalizadas.  

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO