Tempo de leitura: 3 minutos

Na edição #93 da nossa newsletter de curadoria de conteúdo, o Radar, falamos sobre o poder das badges em seu programa de fidelidade; pizzas como incentivo à vacinação; empresas do varejo cuja fidelidade de marca se destaca; e os poucos consumidores que dizem receber ofertas relevantes.

 

Ouça o Radar da semana:

 

[Loyalty 360]
4 razões para incluir badges em seu programa de fidelidade

Embora seja uma das mecânicas mais comuns, simples e efetivas que existem, os pontos não são os únicos atrativos em um programa de fidelidade. Este artigo aborda outro item que impulsiona a experiência do usuário por sua característica gamificada: as badges (medalhinhas). Por meio delas, o cliente tem seus esforços reconhecidos, pode competir com outros e ganha um componente de diversão. Veja as vantagens:

  1. Mudança de comportamento – colecionar badges que geram novas oportunidades fomenta a competitividade;
  2. Economia de investimento – reconhecer o cliente com badges exclusivas pode ter efeito similar ao desconto, sem o custo;
  3. Crédito de pontos não resgatados – as badges encorajam atividades ou transações, não gerando saldo de pontos;
  4. Apelo com os jovens – Gerações Y e Millennials preferem gratificações mais instantâneas e mecânicas divertidas.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)

 

[Mundo do Marketing]
Domino’s vai dar pizzas para incentivar a vacinação

Nos Estados Unidos, governo e iniciativa privada promovem uma série de benefícios, inclusive em dinheiro, às pessoas que se vacinam contra a covid-19. O objetivo é acelerar a imunização. Aqui no Brasil, algumas empresas entraram no esforço com incentivos à vacinação. A Domino’s é uma dessas companhias e está oferecendo pizza grátis àqueles que tomarem sua segunda dose.

A campanha começou esta semana e acontece por Whatsapp. Toda segunda-feira, quem pedir uma pizza, ganha a segunda. Basta apenas enviar o emoji de seringa e uma selfie com o cartão de vacinação. Incentivos específicos para motivar comportamentos costumam funcionar. Além disso, a marca mostra envolvimento e senso de comunidade com seu público.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO

 

[Capillary]
Empresas do varejo cuja fidelidade de marca se destaca

O varejo viu uma série de mudanças serem aceleradas com a pandemia, além de algumas fichas caindo. E uma delas foi que a valorização de clientes tem de fazer parte de uma estratégia de negócios consistente. A fidelização não pode ser um acessório. Este texto apresenta dez companhias onde a fidelidade de marca se destaca há tempos. Confira aqui cinco delas, cujo sucesso vem do foco no cliente:

  1. Apple – conhecida por inovação, seus produtos e serviços são largamente baseados em insights vindos dos clientes;
  2. Amazon – seu plano de assinatura abarca uma larga gama de serviços, do streaming a frete grátis nas encomendas;
  3. Ikea – mobiliário que une preço, funcionalidade e beleza, em um processo de montagem lúdico, que gera prazer no usuário;
  4. Sephora – seu programa de fidelidade em camadas oferece senso de exclusividade, com vantagens em todos os níveis;
  5. Nike – Mais que vender calçados, mas estilos de vida, a empresa avança na personalização de seus produtos.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)

 

[Formation]
Apenas 33% dos consumidores dizem receber ofertas relevantes

Pesquisa conduzida pela Forrester Consulting põe em cheque a relevância de ofertas aos consumidores. A base são dois levantamentos realizados nos Estados Unidos, um B2B, com 252 tomadores de decisão na área de B2C, e o segundo, com 1.000 consumidores. Há uma disparidade de visões: enquanto 92% dos representantes de marcas consideravam suas ofertas relevantes, apenas 33% dos consumidores entendiam receber ofertas assim.

Esse dado mostra que muitas empresas podem perder market share, principalmente por não aproveitarem a gama de dados gerados pelos clientes e personalizar sua experiência. Isso inclui ofertas relacionadas a seus produtos e serviços, mas também a seus programas de fidelidade. Nesse caso, é crucial investimento para captação e análise de dados. Não à toa, 71% das marcas afirmaram pretender investir em tecnologia e inteligência.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)

 

gamificação e experiência