Tempo de leitura: < 1 minuto

Com 850 milhões de consumidores digitais e ferramentas de e-commerce variadas, como super-apps, atuação em redes sociais e aplicativos de mensagens, é a China quem ditará os modelos de varejo do futuro. É o que aventa este artigo, que lembra que, em tamanho, ao menos, este mercado já havia ultrapassado o dos Estados Unidos em 2013 e cuja líder do setor, a Alibaba, é avaliada em mais de US$ 2 trilhões.

A gigante, porém, que já deteve 81% do mercado, opera hoje com market share de 55%, dada a feroz competitividade chinesa. Multinacionais como L’Oréal e Unilever têm seus maiores lucros lá e espelham estratégias de marketing digital e logística da China. Essas recentes modalidades de contato e atendimento ao cliente – e suas novas necessidades – vão determinar também a forma como a fidelização acontece.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETEO (EM INGLÊS)