Tempo de leitura: < 1 minuto

No mundo todo, os restaurantes sofrem com a pandemia, com muitos deles indo à falência. No Brasil, o setor empregava mais de 6 milhões de pessoas até o início da quarentena e agora busca saídas também com o poder público, como subsídios e isenções fiscais. Este artigo apresenta algumas ações implementadas, ou reforçadas, caso do delivery e das vendas online, com muita experimentação quanto ao engajamento.

O texto mostra como isso é um choque para um segmento onde a comida, apesar de importante, era só uma parte da experiência contida no serviço. Muitos tentam oferecer agora confort food, comidas “caseiras”, com preços acessíveis. Também se preparam para uma volta mais tímida e com dimensionamento menor nos projetos. Vale ficar de olho, pois a forma como o setor irá se reinventar trará insights para muitas outras áreas.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO