Tempo de leitura: < 1 minuto

A agência inglesa Antavo traz dados de uma pesquisa da Shekel na qual 87% dos compradores afirmam que prefeririam lojas com pagamentos sem contato, como forma de segurança contra doenças. O artigo diz que esse formato, que já vinha se estabelecendo, é mais do que apenas tecnologia (hoje integrada a smartphones), mas também sobre conveniência.

A base para compras sem sacar dinheiro ou cartão, e sua troca de mãos, é a experiência do cliente. Esta ainda seria impulsionada com uma maior sinergia entre a loja física e online (compras poderiam ser iniciadas em uma e finalizadas na outra), e também com uso de totens para visualização de peças, sem necessidade do cliente tocá-las. E os programas de fidelidade entram como ferramentas cruciais para engajar os clientes nesses novos formatos.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)