Tempo de leitura: < 1 minuto

Hoje, são famosas as cartas anuais aos CEOs que Larry Fink, presidente da gestora de recursos BlackRock, envia, tendo a sigla ESG como bola da vez de um capitalismo que mescla lucro e propósito. A ESG (environmental, social and governance) tem servido de fator de decisão para investidores: denota os esforços das companhias em atuar de forma ética e responsável em temas como diversidade e meio ambiente. 

Este texto mostra como o embarque das empresas brasileiras na defesa de causas sociais e ambientais foi captada em uma pesquisa com 204 empresas divulgada pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje). O levantamento aponta que 58% das organizações já atuam e comunicam sobre questões socioambientais. O tema hoje é incontornável para o engajamento de colaboradores e consumidores e não pode ser menosprezado pelas companhias.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO