Tempo de leitura: 3 minutos

Na edição #110 da nossa newsletter de curadoria de conteúdo, o Radar, falamos sobre os fretes mais baratos em 2022; lições de engajamento dos games; LGPD; e incentivos à força de trabalho em 2022.

[E-COMMERCE BRASIL]
Lojistas querem melhorar preços e prazos de entregas em 2022

A jornada de compra remota possui, entre vários pontos sensíveis, um fator crucial: a entrega. Consumidores querem frete grátis e agilidade. Não à toa, especialistas chamam a entrega de “momento de geração de sentimentos”, que pode ser a diferença entre a nova compra e a perda do cliente. Este texto apresenta dados de uma pesquisa realizada pela SGPweb e E-Commerce Brasil sobre a experiência logística dos negociantes.

Conhecendo o anseio de seus consumidores, para 2022, as principais expectativas dos lojistas são ter entregas mais rápidas (35% das respostas) e conseguir oferecer fretes mais baratos (30%). Ainda, 20% esperam poder ter mais informações de rastreio e acompanhamento de entregas e 15% desejam que surjam novos modelos logísticos que facilitem as trocas e devoluções. Opções de marketplaces e locais de armazenagem também estão no radar dos lojistas.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO

 

[ANTAVO]
Cinco lições de recompensas engajadoras dos video games

Um setor poderoso que deve ter um valor de mercado de US$ 314,4 bilhões por volta de 2027, a indústria de jogos eletrônicos tem muito a ensinar no quesito recompensas como fator de engajamento de longo prazo de públicos, incentivo de compras e construção de comunidades de interesses afins. Este artigo aponta cinco estratégias que os programas de fidelidade podem aprender com os video games.

  1. Passe sazonal (season pass): um período no qual usuários ganham pontos ao participarem de eventos, com vantagens exclusivas. É como um programa em camadas (tiers), mas seus efeitos cessam com o tempo;
  2. Programas de assinatura e recompensas de parceiros: como o da Amazon, que possui sua área de jogos e amplia o catálogo com ofertas de empresas parceiras;
  3. Bônus diários: a exemplo do Candy Crush, mas que em um programa podem ser desafios que vão somar para um benefício final;
  4. Prêmios aleatórios (gachas): como nas rodas da fortuna, e cuja participação já é uma premiação;
  5. Compartilhamento nas redes sociais: premiar comentários, sugestões ou citações (consumidores usando os produtos) é incentivar o buzz em torno da marca.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)

 

[PODER 360]
LGPD e compliance aumentam a transparência e evitam prejuízos

Um dos pilares da fidelização de quaisquer públicos é a confiança. Por isso, a entrada em vigor em 2020 da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) deve ser considerada uma aliada das empresas na busca pela confiança do cliente. Este artigo aproveita o Dia Internacional da Proteção de Dados (28 de janeiro) para alinhar a LGPD e a compliance como formas de transparência e respeito com os consumidores.

O autor traça um panorama jurídico pré-LGPD e suas principais bases (privacidade e dignidade humanas), que devem ser seguidas tanto por entes privados quanto públicos. Para as companhias, estar em conformidade (inclusive criando a figura  do data protection officer, DPO) é fundamental não só para proteger usuários quanto as próprias empresas de prejuízos como o bloqueio no tratamento de dados, multas pesadas e danos à imagem que podem ser ainda mais nefastos.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO

 

[INCENTIVE RESEARCH FOUNDATION]
O panorama dos incentivos à força de trabalho em 2022

O recém-lançado relatório IRF 2022 Trends Report traz dados atualizados sobre o momento do setor de incentivos a colaboradores. Adaptação, flexibilidade e comunicação vão continuar como itens fundamentais para manter equipes coesas e engajadas. Pesquisa da Mercer apontou, por exemplo, que 83% dos empregadores iriam continuar provendo em grande escala flexibilidade quanto ao trabalho remoto e híbrido no pós-pandemia.

Nos Estados Unidos, onde ocorre um grande movimento de pedidos de demissões, o orçamento para incentivos deve crescer 34%, com o gasto per capita atingindo US$ 806. O relatório do IRF lembra ainda da importância do reconhecimento (de pares e chefias) no engajamento dos funcionários e como isso pode ser estimulado mesmo remotamente, além da personalização dos incentivos e cuidados com o bem-estar das equipes.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)