Tempo de leitura: < 1 minuto

Das compras motivadas por pânico – papel higiênico, produtos de limpeza e higiene – a itens de ginástica, conforto e entretenimento, sem contar a migração para o e-commerce, 2020 viu padrões e comportamentos de consumo mudarem como nunca. Este artigo traz dados e apostas sobre o que pode permanecer e os novos valores sob os quais as marcas terão de operar se quiserem se relacionar com seus clientes.

Consumo consciente, por exemplo: cerca de 69 milhões de brasileiros pretendem comprar menos nos próximos meses comparado ao que gastavam pré-pandemia, segundo pesquisa do Instituto Akatu. Especialistas afirmam que consumidores estão mais atentos ao impacto social das marcas e os cuidados com suas cadeias de produção (incluindo meio ambiente, colaboradores e distribuição).

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO