Tempo de leitura: < 1 minuto

Mudanças nos hábitos e tecnologia trouxeram disrupções ao setor da mobilidade, em especial na centenária indústria automobilística. Isso se aplica a como os carros são produzidos, vendidos, utilizados e até à sua propriedade. Com a pandemia, a popularidade dos automóveis, que vinha caindo, ganhou fôlego. Pesquisa da LEK, nos EUA, mostrou que viagens de carro diminuíram apenas 9% em 2020, enquanto transporte público e viagens por aplicativo caíram de 55% a 65%.

O aluguel de carros também deve crescer, inclusive com modalidades por hora e até minutos. Mas o texto argumenta que nos grandes centros, o crescimento será de apps agregadores, que criam roteiros com diferentes transportes (de scooters ao metrô), procurando pelo itinerário mais barato e conveniente. Consultorias preveem que esse serviço irá gerar US$ 35 bilhões em uma década. Seja como for, as grandes montadoras terão de encontrar uma forma de serem relevantes para os clientes que querem se deslocar de um ponto A ao B. 

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO (EM INGLÊS)