Tempo de leitura: 2 minutos

Utilizar canais mobile para se relacionar com o público-alvo é um recurso já utilizado pelas empresas. Mas ainda há muito a ser explorado.

Segundo o relatório canadense Bond Loyalty, o maior estudo deste tipo, 62% das mulheres e 52% dos homens entrevistados gostariam de se envolver com programas de incentivo que possuem canais mobile. Com um foco mais regional, temos um dado interessante da Flurry. O Brasil é líder na América Latina em uso de apps móveis. Diante desses números, como deixar de lado a criação de canais mobile no seu programa de relacionamento e incentivo?

É certo que antes de sair por aí criando aplicativos, é preciso olhar para o público-alvo e buscar respostas. Existe um perfil de participante disposto a usar canais mobile? Faz sentido criar somente um aplicativo? Ou é melhor conciliar diversos canais de comunicação para atingir diferentes públicos? Já falamos algumas vezes aqui no blog que não existe receita pronta para um programa de relacionamento. Cada empresa é um caso. Casos que merecem um estudo de objetivos, recursos disponíveis e perfis de usuários.

Canais mobile: como incluir no meu programa de incentivo?

O relatório Bond Loyalty mapeou os principais usos de canais mobile pelos canadenses que utilizam programas de incentivo. Os consumidores, por exemplo, estão mais interessados ​​em verificar seus saldos (57%) e resgatar pontos (55%). Além de encontrar lojas (54%) e navegar pelas opções de recompensas (54%).

Um exemplo interessante de aplicação de dispositivos móveis é no segmento de operadoras de celular. Com uma rede variada de públicos entre as etapas de vendas e distribuição, é um grande desafio estabelecer um relacionamento e compartilhar informações, valores da empresa e as vantagens competitivas dos produtos.

Pensando nisso, a Valuenet criou para um de seus clientes um aplicativo para engajar PDVs que comercializam chips e efetuam recargas para celular, como as tradicionais bancas de jornais. Os proprietários desses pontos de venda são geralmente desconhecidos pelas empresas. No entanto, têm o contato direto com o consumidor final, sendo por isso, um público essencial para promover o alinhamento entre a marca e o PDV.

É importante lembrar que o app pode não só trazer informações para os participantes, como também gerar dados importantes sobre o consumidor, para que seja possível identificar oportunidades e direcionar ações.

Saiba mais no nosso post sobre tecnologias para campanha de incentivo.

Quais ações posso incluir nos canais mobile?

Um aplicativo pode deixar disponível a mecânica e as regras do programa de relacionamento. Pode permitir a criação de perfis personalizáveis, onde o usuário consiga visualizar seu desempenho ao longo do tempo. Também é interessante compartilhar todos os canais de comunicação disponíveis e organizar as principais dúvidas dos participantes em um FAQ.

Além dos acessos a premiações e demais notificações sobre o programa, é importante utilizar o canal para compartilhar informações sobre o produto ou serviço. Uma boa opção é aplicar o recurso de gamificação em um formato de quiz, por exemplo, no qual o usuário pode responder perguntas relacionadas aos benefícios, promoções e condições comerciais, por exemplo. É uma maneira lúdica e mais atrativa de trazer engajamento enquanto se oferece argumentos de venda.

Podemos perceber que a tendência dos canais mobile é de ganhar cada vez mais espaço nas ações de incentivo. Não só para acompanhar o perfil dos participantes, que se mostram usuários assíduos de aplicativos, mas também para facilitar a comunicação e o processamento de dados que são gerados pelos programas. Para isso, temos à disposição a plataforma Fielo, que possibilita o desenvolvimento de programas multiplataformas e com múltiplas entradas de dados.